Arquivos do Blog

Cronologia das relações entre a UE e a América Latina

Cronologia das relações entre a UE e a América Latina

Na esteira da realização da II Cúpula CELAC-UE, que acontece entre os dias 10 e 11 de junho em Bruxelas, dando continuidade aos encontros multidisciplinares que Europa e América Latina iniciaram ainda na década de 70 com as conferências entre seus parlamentos, reproduzimos abaixo uma cronologia da relação entre as duas regiões, publicada pelo portal de notícias La Vanguardia:

– 1974: Iniciam-se as conferências semestrais entre o Parlamento Europeu e o Parlatino.

– 1975: Criação do grupo ACP (África, Caribe e Pacífico) e assinatura da Convenção de Lomé (UE-ACP).

– 1976: Primeiras atividades de cooperação entre a Comunidade Europeia (CE) e a América Latina.

– 1983: Assinatura do primeiro acordo de cooperação com o Pacto Andino.

– 1984: Em meio à crise da América Central, começa o diálogo político de San Jose entre a CE e a América Central, em apoio ao processo de paz regional.

– 1985: Assinatura do acordo de cooperação CE-América Central.

– 1986: Criação do Grupo do Rio.

– 1987: Primeiro encontro informal, em Nova York, entre a CE e o Grupo do Rio.

– 1988: Cuba é o primeiro país não-europeu do antigo Comecon a estabelecer relações diplomáticas com a CE.

– 1989: A República Dominicana e o Haiti são aceitos como membros da Convenção de Lomé.

– 1990: A Conferência de Roma institucionaliza o diálogo político entre a UE e o Grupo do Rio.

– 1991: Conferência Ministerial inaugural UE-Grupo do Rio em Luxemburgo.

Em março de 1991 é assinado o Tratado de Assunção que cria o Mercosul.

– 1992: Criação do Cariforum. A UE oferece concessões para as exportações dos países da América Central.

– 1993: Marco do Acordo UE-Pacto Andino de terceira geração, que inclui o diálogo político, a cooperação antidrogas e a cláusula democrática.

– 1994: IV Encontro Ministerial UE-Grupo do Rio, que adota uma declaração sobre “parceria estratégica”.

– 1995: Assinatura em Madrid do Acordo de Cooperação Interregional entre a UE e o Mercosul.

– 1996: Assinatura em Florença do Acordo de Cooperação UE-Chile, etapa anterior ao livre comércio.

Naquele ano, a XII Conferência Ministerial de San Jose define novas áreas de cooperação com a América Central, para apoiar a integração regional.

Se realiza a primeira reunião de alto nível entre a UE e o Pacto Andino sobre o combate às drogas.

– 1997: UE e México assinam um Acordo de Associação Econômica, de Concertação Política e de Cooperação, que entrou em vigor em Outubro de 2000.

– 1998: Cuba é aceita como observadora na Convenção de Lomé que integra 71 países da ACP.

– 1999: I Cúpula de Chefes de Estado e de Governo UE-América Latina-Caribe em 28 de junho, no Rio de Janeiro, em que é criada uma Associação Estratégica Birregional.

São aprovados mandatos de negociação de Acordos de Livre Comércio com o Mercosul e o Chile.

– Março de 2000: Assinatura do Acordo Global com o México, que entra em vigor em outubro seguinte.

– Junho de 2000: A UE e os 77 países da ACP, assinam em Cotonou (Benim) um novo Acordo de Cooperação, em vigor desde Abril de 2003.

– Dezembro de 2000: Cuba torna-se o primeiro país da ACP não-pertencente ao Acordo de Cotonou, a ser admitida como membro pleno.

– Dezembro de 2001: A UE aprova o programa de cooperação eletrônica “Aliança para a Sociedade da Informação”, iniciado em abril seguinte, em Sevilha (Espanha).

– Abril de 2002: Reunião Ministerial UE-América Latina e Caribe, em Sevilha. Aprovado o Acordo Global UE-Chile.

– Maio de 2002: II Cúpula Euro-Latinoamericana, em Madrid. Entre as conquistas, a assinatura do Acordo de Associação UE-Chile, os programas Alban de bolsas de estudo para pós-graduação e Alis sobre novas tecnologias. Se abre para a Comunidade Andina de Nações (CAN) e América Central (SICA) a perspectiva de negociar acordos de parceria.

– Junho de 2002: A UE adota uma estratégia de cooperação com a América Central, com ajuda de 444,5 milhões de euros entre 2002-2006.

– Dezembro de 2003: Assinados em Roma os Acordos de Diálogo Político e Cooperação com a América Central e a Comunidade Andina aprovados pelo Parlamento Europeu em Março seguinte.

– Maio de 2004: III Cúpula UE-LAC em Guadalajara (México), a primeira com a UE ampliada em vinte e cinco. Iniciam-se as negociações sobre um Acordo de Parceria Econômica com quinze países do Caribe.

– Dezembro de 2005: Aprovação do SPG Plus (SPG +), que permite a países andinos e centroamericanos exportarem à UE 7.200 produtos sem tarifas alfandegárias até 2008.

– Abril de 2006: A Venezuela anuncia sua intenção de deixar a Comunidade Andina.

– Maio de 2006: IV Cúpula UE-LAC em Viena, que estreitou laços. Se anuncia a abertura de negociações UE-América Central, classificada como “histórica” ​​pelos países centroamericanos.

– Maio de 2008: Lima cedia a V Cúpula UE-LAC e se subscreve a Declaração de Lima que incluiu um programa conjunto sobre alterações climáticas, batizado de “Euroclima“.

– Maio de 2010: Madrid é a sede da VI Cúpula UE-LAC, cujo tema central é a crise econômica. O multilateralismo é defendido e é acordada a Fundação UE-LAC para fortalecer as parcerias entre as duas regiões.

– Dezembro de 2011: Nasce oficialmente em Caracas a Comunidade de Estados Latinoamericanos e Caribenhos (CELAC), em que se consolida tanto o Grupo do Rio como a Cúpula da América Latina e do Caribe (CALC).

– Janeiro de 2013: A VII Cúpula UE-ALC é concluída em Santiago do Chile com o objetivo de incentivar os laços econômicos. Foi a primeira entre as duas regiões desde a criação da CELAC.

– 29 de janeiro 2015: No contexto americano, tem lugar a II Cúpula de Chefes de Estado da CELAC em Belém (Costa Rica). A declaração final expressa a vontade dos países de combater a pobreza e a desigualdade.

– 10-11 junho de 2015: Bruxelas é sede da II Cúpula entre a UE-CELAC.

Com Imformações das Agencias

%d blogueiros gostam disto: