Arquivos do Blog

Solidariedade como a arma mais prezada

Photo: Anabel Díaz

COM a presença de 130 delegados de mais de 60 organizações, começou na segunda-feira, 9 de novembro, no Palácio das Convenções de Havana, a 21ª Assembleia Geral da Federação Mundial das Juventudes Democráticas (FMJD), organização que, coincidentemente, comemorou nesse mesmo dia o 70º aniversario de sua fundação.

“Esta assembleia é o lugar para debater, avaliar e avançar de forma unida. É o espaço para enviar uma mensagem internacional forte, que ofereça à juventude valor e esperança acerca do futuro e que evidencie nossa vontade de continuar sempre ao lado dos jovens e seus direitos”, expressou o presidente da FMJD, Nicolas Papademetriou, na abertura do encontro.

O líder juvenil conversou com os delegados sobre a crise capitalista mundial atual e referiu que, sob o título de “superar a crise”, se impõem medidas duras contra os povos e especialmente contra os trabalhadores e a juventude.

Yuniasky Crespo Baquero, primeira secretária da União dos Jovens Comunistas de Cuba (UJC), insistiu na necessidade de se unirem, diante das realidades imperantes, e a “fazer da solidariedade nossa mais prezada arma. Devemos fortalecer-nos e incrementar nossas ações coletivas para revitalizar a luta da esquerda juvenil, algo tão necessário em um mundo que pretende plantar egoísmos e padrões de vida desiguais e insustentáveis”.

Crespo Baquero declarou sua satisfação por se encontrar em Cuba entre tantos irmãos de luta que, “invariavelmente nos têm acompanhado ao longo de todos estes anos: nos esforços de nossa pátria por continuar construindo uma sociedade mais equitativa para todos, na condenação do bloqueio genocida imposto pelo governo dos Estados Unidos e na luta que conseguiu o retorno à pátria de nossos Cinco Heróis lutadores contra o terrorismo”.

A primeira secretária da UJC sublinhou a importância do movimento dos Festivais Mundiais da Juventude e os Estudantes — promovidos por esta Federação e “que têm feito escutar sua voz a favor da paz e a solidariedade antiimperialista” — e destacou o papel de Fidel ao convocar a não deixar morrer essa bela iniciativa.

Presidiram o encontro, ainda, a coordenadora da área da África e Oriente Médio, do Departamento das Relações Internacionais do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba (PCC), Clara Pulido Escandel; o funcionário do Comitê Central do PCC, Julio César García Rodriguez e os vice-presidentes da FMJD Gris Hananda, para a região da Ásia; Marwa Saab, para a região do Oriente Médio e Dalfino Hoster Guila, para a região da África.

%d blogueiros gostam disto: