Arquivo da categoria: Cuba-EUA

A cruzada dos Estados Unidos contra a cooperação médica internacional de Cuba

Resultado de imagen para medicina de cubana

Declaração do Ministério das Relações Exteriore

CONFORME observado na Declaração do Minrex de 29 de agosto de 2019, o governo dos Estados Unidos desenvolveu, desde o ano passado, uma campanha intensa e prejudicial contra a colaboração médica que Cuba oferece, combinada com a ameaça de sanções aos líderes cubanos e pressões contra os Estados receptores para dispensá-la.
Dirigida em detalhes pelo Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, tem a participação ativa de senadores e congressistas associados à máfia anticubana da Flórida e a funcionários frenéticos do Departamento de Estado.
Eles acusam Cuba de suposta «escravidão moderna» e «tráfico de pessoas» que trabalham no sistema de saúde cubano, com a finalidade de exploração ou alegada interferência deles nos assuntos internos dos Estados em que estão localizados.
Eles também tentam restaurar o chamado «Programa de liberdade condicional para profissionais médicos cubanos», existente até 12 de janeiro de 2017, como base de uma gestão ativa do estímulo à deserção, pagamento de passagens e serviços jurídicos, fornecimento de vistos dos EUA e documentos de viagens a cooperadores de terceiros países com o objetivo de sabotar os acordos bilaterais firmados com eles, privando-os de seus serviços e privando-nos de recursos humanos altamente qualificados.
Em maio de 2019, o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos organizou uma conferência na sede da referida organização sobre os supostos crimes contra a humanidade cometidos por Cuba, em relação à cooperação médica cubana no exterior.
Em junho, o Departamento de Estado, em seu Relatório sobre o Tráfico de Pessoas 2019, denegriu a cooperação médica internacional de Cuba e, um mês depois, impôs sanções de restrição de visto a funcionários cubanos ligados a missões médicas.
Posteriormente, a Agência para o Desenvolvimento Internacional (Usaid), uma instituição dos EUA que contribui com fundos para os programas de subversão contra o governo de Cuba, destinou US$3 milhões para projetos direcionados contra as brigadas médicas de Cuba no exterior.

Leia o resto deste post

Para os EUA é difícil para ele entender que a dignidade de Cuba não é negociada

Imagen relacionadaO presidente dos Conselhos de Estado e Ministros de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, descreveu Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA, como ignorante da história e dos princípios da Revolução Cubana, quando se atreveu propor a negociação de uma reconciliação em troca de abandonar o curso escolhido por nosso povo e sugerir atraiçoar amigos e negar 60 anos de dignidade.

O presidente cubano acrescentou em sua conta no Twitter: «Pompeo não entende que, em toda a ilha, somos menos do que aqueles que diariamente passeiam por uma grande cidade. Somos menos: um punhado de homens numa faixa de terra batida pelo mar. Mas nós construímos uma alegria esquecida».

Leia o resto deste post

Os Estados Unidos pretendem devolver o mundo aos seus piores momentos

Imagen relacionadaO atual governo dos EUA, que despreza o multilateralismo e decidiu devolver o mundo a seus piores momentos, usando as ameaças mais impudentes, com interferência insolente e constantes ultimatos, incluindo a possibilidade de invasões, declarou publicamente, mais de uma vez, seu propósito de destruir qualquer alternativa de desenvolvimento diferente do capitalismo selvagem que tenta se desenvolver na região.

Leia o resto deste post

Trump conhece guerras e não solidariedade

Resultado de imagen para cuba es salud

O presidente Donald Trump não cessa em suas acusações contra Cuba. Em uma entrevista na última quinta-feira com a Telemundo — a propósito, a primeira oferecida a um canal de televisão em língua espanhola — disse: «Você vê o que está acontecendo na Venezuela? É horrível. E você sabe quem é o principal responsável pelo problema? Cuba. Ela têm 25 mil soldados lá».

Leia o resto deste post

Cuba rejeita fortemente ameaça de ativação do Título III da Lei Helms Burton

Imagen relacionadaEM 16 de Janeiro de 2019, o Departamento de Estado dos Estados Unidos anunciou a decisão de suspender apenas por 45 dias a aplicação do Título III da Lei Helms-Burton «para efetuar uma revisão completa… à luz dos interesses nacionais dos EUA e os esforços para acelerar uma transição para a democracia em Cuba, e incluir elementos tais como a opressão brutal do regime contra os direitos humanos e as liberdades fundamentais e seu apoio indesculpável aos regimes cada vez mais autoritários e corruptos na Venezuela e Nicarágua».

O governo do presidente Donald Trump ameaça dar um novo passo que viria a fortalecer, perigosamente, o bloqueio contra Cuba, seria uma violação flagrante do direito internacional e atacaria diretamente a soberania e os interesses de países terceiros.

Leia o resto deste post

Cuba: a obsessão dos EUA

Cuba é, por muitos anos, um tema recorrente na agenda de qualquer um que tenha passado pelo mais alto cargo político nos Estados Unidos, as palavras são repetidas e a retórica é sempre a mesma, e se em um determinado momento se registrou uma melhoria nas relações bilaterais, o governo Donald Trump jogou (quase) tudo por terra.

Leia o resto deste post

«Devemos acabar com o bloqueio contra Cuba»

Resultado de imagen para cuba bloqueo

O roteirista britânico Paul Laverty, que venceu o prêmio de roteiro no festival de San Sebastian, Espanha, com o filme Yuli , inspirado na vida do bailarino e coreógrafo cubano Carlos Acosta, catalogou o bloqueio de Cuba «como uma vergonha que deve acabar».

Ao receber o prêmio, Laverty, um roteirista habitual de diretores como o britânico Ken Loach, disse: «58 anos atrás, EUA impôs um bloqueio a Cuba, um bloqueio que é ilegal, que todo ano é condenado nas Nações Unidas, e que só é sustentado por dois votos: os dos EUA e de Israel. Dois especialistas na aplicação de punições coletivas à população civil. Dois bandidos, canalhas, hipócritas. Devemos acabar com essa vergonha, devemos acabar com o bloqueio contra Cuba»

Leia o resto deste post

Senado dos EUA analisará alegados incidentes acústicos em Cuba

Resultado de imagen

Em declarações à imprensa, membro da Comissão de Relações Exteriores da Câmara alta, Jeff Flake afirmou que as autoridades dos Estados Unidos não têm achado evidências de que os diplomatas tenham sido vítimas de ataques com uma arma desconhecida. Sublinhou que em suas múltiplas viagens a Havana, os agentes do Bureauo Federal de Investigações (FBI) não encontraram provas de que ‘as misteriosas doenças sejam resultado de ataques’, apesar de que o governo de Trump tem descrito os incidentes como tais.

Flake agregou que os relatórios classificados dos servidores públicos estadunidenses lhe deixaram sem razões para duvidar da versão do governo cubano.

Ações unilaterais de Washington travam relações com Cuba

A delegação cubana à rodada de conversações migratórias com os Estados Unidos, expressou sua profunda preocupação pelas consequências das medidas que dificultam estas relações

Imagen relacionada

Leia o resto deste post

Presuntos ataques acústicos

Em Cuba não existe esse tipo de tecnologia e é interdita a sua importação comercial ou de qualquer equipamento com estas funções, pelo qual a sua introdução no país somente poderá ser feita de maneira ilegal.

«Aplicamos as mesmas técnicas de processamento digital que empregamos com as mostras de áudio que eles nos entregaram, o som que gravamos da cigarra e pudemos verificar, de forma coincidente, que também é um som que está acima dos 7 quilociclos, que tem um largo de banda aproximadamente igual, acima dos 3 KHz, e que audivelmente è muito parecido. Fizemos também comparações de espectros de todos os sinais dados com o espectro que gravamos e evidentemente este ruído comum é muito parecido com o ruído de uma cigarra»

Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: