Com Abdala, Cuba dá mais um passo firme rumo à imunização

A aplicação da terceira dose da vacina candidata Abdala concluiu, como parte da fase III do teste clínico, e começa a avaliação da eficácia

O primeiro secretário do Comitê Central do Partido e presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, elogiou o encerramento da aplicação da terceira e última dose da vacina candidata Abdala (CIGB-66), no âmbito da fase III do teste clínico realizado em Santiago de Cuba, Guantánamo e Bayamo, e que teve início em 22 de março.

«Nossa vacina candidata Abdala está a se aproximar da meta. (…) 48.290 voluntários receberam as três doses, com pouquíssimos efeitos adversos. Estamos dando passos firmes rumo à imunização total do país», disse o chefe de Estado em sua conta no Twitter.

Segundo especialistas do grupo empresarial BioCubaFarma, a adesão ao protocolo foi superior a 97%, o que reflete o perfil de segurança adequado do CIGB-66, e a permanência na pesquisa da maioria dos voluntários selecionados.

Referindo-se à eficácia do produto, a doutora em Ciências Verena Muzio, diretora de Pesquisa Clínica do CIGB, informou que em 3 de maio começará a avaliação dessa variável, a principal neste período de pesquisa, a partir do acompanhamento de todos os sujeitos, para detectar aqueles com resultado positivo para o coronavírus SARS-COV-2.

Em relação à publicação dos resultados da eficácia da vacina candidata, ele esclareceu que esta não tem um tempo fixo, pois depende da rapidez com que os casos aparecem no período após a administração da terceira dose.

Relativamente à projeção de estudos com Abdala em populações pediátricas, disse que os pesquisadores estão em fase final de concepção de ensaios clínicos em segmentos etários de 18 anos ou menos, os quais deverão ser submetidos à avaliação e autorização do Centro de Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dispositivos Médicos (Cecmed), para poder iniciá-los em um prazo não muito distante.

A produção da vacina candidata Abdala acontece nos Laboratórios AICA, na capital do país.

ABRIL DEIXOU OS NÚMEROS MAIS ALTOS DE CONTÁGIOS E MORTES

Entre janeiro e abril, longe de diminuir, aumentaram os números mensais de casos positivos e — mais triste ainda — de pacientes falecidos devido à Covid-19 no país.

O doutor Francisco Durán García, diretor nacional de Epidemiologia do ministério da Saúde Pública (Minsap), informou em entrevista coletiva que 31.346 infecções foram registradas no quarto mês do ano, cerca de 5.660 a mais que em março. Houve uma média de 1.044 casos por dia, sendo que na maioria dos dias foram registrados mais de mil casos.

Em abril, a letalidade e mortalidade pelo vírus tiveram um aumento notável, somando 229 mortes por complicações associadas à doença, número que dobrou o recorde anterior, registrado em fevereiro, quando ocorreram 108 mortes.

Ainda em abril, foram tratados 4.449 crianças, adolescentes e jovens com idade igual ou inferior a 18 anos, positivos para SARS-COV-2, com uma média de 148 casos por dia.

Esses números ressaltam a extraordinária importância do cumprimento rigoroso das medidas de biossegurança e distanciamento social.

Granma

Publicado em 03/05/2021, em COVID-19, Cuba, Saúde, Vacina. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: