A Constituição de Cuba é discutida e aprovada pelos cubanos

«O secretário-geral da OEA, seguindo o roteiro ditado pelo governo dos Estados Unidos, organizou um novo espetáculo contra Cuba, que ele chamou de Conferência. Nesta ocasião, sobre o projeto de reforma constitucional cubano», disse, em 12 de fevereiro, Eugenio Martínez Enríquez, diretor geral para a América Latina e o Caribe, do Ministério das Relações Exteriores.

O funcionário afirmou que é impressionante que o secretário-geral, com sua particular obsessão anticubana, reitere calúnias e mentiras vulgares sobre nosso país e ignore tantas questões de real urgência em Nossa América, para as quais ele não dedica as mesmas energias, nem o tempo nem os recursos da organização da qual ele é um funcionário. O secretário-geral deve saber que nem ele nem aquela organização têm o direito de debater sobre a Constituição de um Estado que não faz parte dela, nem pretende ser, e não está, portanto, sujeito ao seu sistema de tratados, com o qual ele não tem obrigação.

«A OEA é a organização que, a serviço do imperialismo dos EUA, apoiou as tentativas de isolar Cuba, as intervenções militares na América Latina, as cruéis ditaduras militares que os EUA criaram, financiaram e protegeram por anos e ignorou condenando as torturas mais abomináveis ​​em nossa região, atropelando os direitos dos povos da nossa América», disse Martinez Enríquez.

Também mencionou que o secretário-geral desrespeita a carta da própria OEA, que estabelece a natureza de suas funções, entre as quais a autonomia ou a capacidade de orquestrar esse tipo de ação não é reconhecida, nem que os Estados membros da OEA lhe tenham concedido algum mandato especial.

«Nós não reconhecemos, nem reconheceremos qualquer autoridade moral ou legal à OEA, nem a qualquer um de seus funcionários e órgãos subsidiários que tentam atacar Cuba», enfatizou.

Finalmente, o diretor-geral para a América Latina e o Caribe, do Ministério das Relações Exteriores acrescentou que a Constituição de Cuba emana da autoridade soberana de seu povo, que debateu democraticamente o projeto da Carta Magna, na qual votará em breve. O secretário-geral da OEA está errado em repetir o roteiro tantas vezes ensaiado contra Cuba. A Constituição cubana é discutida e aprovada pelos cubanos e será confirmada no dia 24 de fevereiro.

Granma

Publicado em 13/02/2019, em Constituição, Cuba, OEA. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: