Raúl Castro: O processo de paz não tem retorno

“O processo de paz não tem retorno”, sustentou o presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros de Cuba, general-de-exército Raúl Castro Ruz, ao referir-se ao fim do conflito armado na Colômbia, o de mais longa data do continente, e depois de entregar ao presidente desse país, Juan Manuel Santos, e ao chefe das FARCs-EP, os acordos assinados em Havana e que hoje colocam ambas as partes mais perto do fim das hostilidades.

Raúl lembrou que quando, em 19 de novembro de 2012, começou seus trabalhos em Havana a mesa de diálogo entre o governo e as Forças Armadas da República da Colômbia-Exército do Povo (FARCs-EP), “não foram poucos os que naqueles dias vaticinavam o fracasso, como já tinha ocorrido na Colômbia com anteriores processos de paz”.

Contudo, referiu o presidente cubano, os acordos de hoje nos aproximam, como nunca antes, do fim do conflito de mais de cinco décadas, ao tempo que destacou que a decisão das partes de assinar o compromisso sobre o Cessar-Fogo e de Hostilidades Bilateral e Definitivo representa um passo de avanço decisivo.

“A paz será a vitória de toda a Colômbia, mas também da Nossa América”.

Raúl reiterou que a Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos tem em sua jovem história o grande fato de ter proclamado a América Latina e o Caribe como Zona de Paz. A esse respeito, sublinhou que o fim deste conflito na Colômbia é uma demonstração firme do compromisso de nossos povos para desterrar o uso e a ameaça da força e lutar a favor das soluções pacíficas. “Perante as diferenças, diálogos; perante os desafios, concertação”, disse.

Ter conseguido a paz será uma esperança para milhões de pessoas no planeta, cuja principal preocupação continua sendo a sobrevivência em um mundo convulso por causa da violência e das guerras, refletiu.

“A paz não é utopia”, disse Raúl, é o direito legítimo dos seres humanos e uma condição indispensável para o desfrute dos direitos humanos, particularmente o direito à vida.

O general-de-exército reiterou o compromisso do povo e do governo de Cuba com a paz da Colômbia, que disse tem sido e será permanente, “fiéis à premissa martiana de que Pátria é humanidade”.

“Em sua condição de garante e sede, Cuba continuará dando as facilidades necessárias para contribuir para o fim do conflito, com modéstia, discrição e profundo respeito às posições das duas partes”.

Raúl felicitou o governo da Colômbia e as FARCs-EP pela seriedade e o compromisso dos cruciais avanços anunciados em 24 de junho. E destacou que ainda restam importantes e difíceis questões na mesa de conversações.

“Somos otimistas e estamos convictos de que o futuro da Colombia será a paz”, concluiu.

Anúncios

Publicado em 23/06/2016, em Colombia, Cuba. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: